26 de abr de 2014

Cap 1.

                                            Ainda não dei o título na minha história, então vai ser cap 1 e assim vai...

'' Sei que nada é infinito, e maravilhoso até porque no final desse filme, morremos não é? Meu pai morreu quando havia uns seis anos, e hoje tenho 16. Eu só descobri que meu pai havia morrido, aos dez anos.
Acordei hoje ás oito-e-meia faltava umas duas horas para começar a minha aula. Ok, a minha escola e diferente da de mais, ao em vez de começar as sete e acabar as onze começa as dez e termina as três horas da tarde. Levantei-me e fui para o banheiro. Vi meu vaso-de-flor rosa-choque sem flor, e com minha escova de dente. Ok, eu sou um pouco bugada ao em vez de colocar flores em vasos de flor, eu coloco em potes de escova dente, e coloco minha escova em vasos de flores.
 Escovei logo os meus dentes, e fui para a cozinha. Vi que minha mãe, estava fritando ovos. Na moral, eu odiava ovos. Acho ridículo comer ovos no café da manhã. Minha mãe, viu que eu já havia acordado.
 - Oi filha. - Disse-a com a frigideira. - Bom dia.
  - Oi, bom-dia. - Falei. - Ovos de novo?
  - Sim. - Disse minha mãe.
  - Aném, eu ODEIO ovos. - Falei. - Tem nada para comer não?
  - Não. - Falou. - Só tem ovos, e 4 gelos. Desde quando seu pai se foi, e difícil a gente ter algo bom para comer.
  - Aff... Compra umas bolachas, ali na padaria. - Falei.
  - Você acha que temos dinheiro? - Disse-a. - Não temos nem um real.
   Eu sabia que desde quando meu pai se foi, a gente era pobre e pá... Mais não ter nem uma moedinha de um real? Dai tá difícil mesmo. Minha mãe, pegou um prato e perguntou se eu iria querer. Era melhor comer ovos fritos do que passar fome. Fiz que sim com a cabeça, ela colocou um no prato e eu tentei comer sem reclamar. Até que eu comi tudo, coloquei o prato na pia e fui para o meu quarto.
  Peguei o meu smartephone e liguei-o. Fiquei conversando com Nicole, por um bom tempo, até dar umas 9:20 e fui tomar banho. Logo voltei, arrumei minhas coisas, peguei meu uniforme que era totalmente horrível que era escrito E.E.F.D.M (Escola Estadual Francisco de Menezes) e coloquei minha calça jeans. Peguei meu All Star preto, e coloquei-o. Penteei o meu cabelo, e coloquei uma presilha.  Olhei para o mural de fotos, que ficava perto da porta, e vi uma foto onde estava a minha família inteira. Família inteira, mesmo.
  - Amo vocês, saudades. - Falei. - Dos momentos bons e ruins.
   A minha madrinha estava naquela foto, e meu pai também. A minha madrinha já foi para o céu, morreu com câncer, e meu pai morreu de atropelamento. Limpei meu rosto, que já estava todo lagrimado e coloquei a foto no lugar, até que eu vi que já eram umas nove e meia, hora de ir para a escola.
 - Tchau mãe. - Gritei.  
  - Tchau filha, ótima aula. - Disse minha mãe.
Eu morava acho que duas ruas antes da minha escola. Eu ia sempre de pé. Fui para a sala, abri a porta e logo em seguida o portão, tranquei-os e fui para a escola. Na porta estava Miguel, um menino que eu gostava, mais nunca havia falado com ele. Ele havia uns 17 anos, estava no terceiro colegial e eu no segundo. Entrei sem tentar olhar para ele, e fui para a minha sala. Vi que Nicole estava no lugar dela, e quando me viu chegou a pular.
  - JUUUUUUUUUUUUUUUUUU. - Gritou-a. - Senta aqui do meu lado.
  - Oi Nick, tudo bem? Tá bom. - Sentei-me do lado dela.
  - Advinhaaaaaaaaaaaaa?  O Yudson está solteiro. - Falou-a, dando pulinhos.
  Yudson era um menino metidão, que eu odiava. Ele era alto, bonitinho mais se achava. Ele tipo, se achava o tal, esfregava tudo o que ganhava na cara dos outros e tal. Nicole gosta dele, não sei no que, que ela viu nele.
  - Ah que legal. - Falei, sem animo.
  - Que legal? Isso é vida. - Disse-a sorrindo.
  - Quieta, olha ali o Charlie. - Apontei-o.
  Charlie era meu melhor amigo, confiava nele, ele sabia de tudo que eu já passei. Tudo mesmo. Meu pai morto, minha madrinha também. Gritei pelo nome dele, e ele sentou na minha frente. Ele não era tão bonito igual o Miguel, mais ele era lindo. Era meigo. Era gentil. Era tudo.
  - Oi Ju. - Disse Charlie. - Tudo bem?
  - Sim e você? Ah e oi Charlieeeeeeeeeeee. - Dei um sorriso para ele.
  - To ótimo. Graças a deus que você disse oi para mim. - Disse-o.
  - Ei, to aqui. Exclui-me não. - Disse Nicole.
  Demos um sorriso para Nicole, e logo sentamos direito. Adriano já estava chegando, professor de matemática e logo em seguida as '' patricinhas gatas do colégio ''. Elas são as que se acham, igual o Yudson, que usa roupas de marca e vai com salto para o colégio.
  - Sentem-se crianças. - Disse Adriano.
  Adriano tem essa mania de nós chamar de criança, vê se pode. Estamos no segundo colegial, e ele chama a gente de criança. Comecei a rir, mais logo parei. Peguei meu caderno, e comecei anotar as coisas que ele já estava passando no quadro.
  - Ju, me empresta 5 canetas? - Disse-a Nicole.
 Entreguei o estojo para ela. Que pegou um punhado de caneta, e logo me devolveu. Pedi para o Adriano deixar-me ir tomar água, e ele deixou. Sai da minha sala, e no corredor vi Miguel colocando o pé na parede, e outro em pé. Ele me viu. Sorriu. E eu sorri de volta.
  - Oi, como você chama? - Disse-o.
  - Me chamo Juliana... - Falei. - Não posso conversar agora, tenho que ir tomar água e logo voltar para a aula.
   - Calma, você vai apenas beber água. - Disse-o.
    - Sim... - Falei. - Vem comigo, porque se o Adriano sair da sala e ver eu conversando contigo ao em vez de tomar água.
   - Ah tá. - Disse-o.
   Ficamos andando pelo corredor, fomos para o Pátio que estava totalmente vazio. Me abaixei para abrir o bebedouro, e colocar a cara lá. Bebi água por uns 3 minutos, estava morta de sede. Logo levantei-me a cabeça, que estava quase toda molhada e sorri para Miguel.
  - Você tá no segundo colegial né? - Disse Miguel.
  - Sim. - Falei. - Ei tenho que ir agora, tchau.
  - Eu também, tchau. - Miguel acenou.
  Cada um foi para um caminho diferente, entrei na minha sala. Todos me olhavam, deve ser porque demorei né. Sentei-me no meu lugar, e anotei o que o professor pediu. Logo bateu o sinal, era Atualidades sobre Tráfico Humano. Ai o professor ficou conversando e pá, logo bateu o sinal para o recreio. Saiu eu, Nicole e Charlie e fomos para o pátio.
   - Por que demorou tanto, para ir para a sala em dona Juliana? - Disse Charlie.
   - Porque... er deixa.. - Falei.
   - Fala. - Disse Nicole.
   - Fiquei conversando com o Miguel. - Falei.
  Então os dois sorriram, eu fui para o banheiro. Olhei-me no espelho. Lavei a minha mão e logo sai, fiquei andando pelo pátio procurando um banco, e senti algo me cutucando. Achando que era o Charlie, nem virei. Continuei a andar. E o cutuco continuando a cutucar. E eu me em comodando. Até que eu me virei e vi Miguel.
    - Oi.... Quer sair comigo depois da aula?
      - Obvio que... sim. - Respirei.
 

2 comentários:

  1. Respostas
    1. fico feliz *-*
      Mais se não gostou de alguma parte, tipo, no fim desse cap pode falar =D

      Beijos,

      Excluir

Como sei que vocês devem ter gostado da postagem e veio comentar, eu queria explicar algumas regrinhas para você ;
1. Quer falar mal de alguma coisa do blog? Pode falar.
2. Proibido falar sobre sexo, e palavrão aqui. Se caso falarem, imediatamente irei apagar.
3. Criticas, sugestões e dúvidas são sempre bem-vindas nesse local.
4. PROIBIDO... Comentar sdv ou então: '' Que legal seu post, segue ? '' ou coisa parecida. Se comentar algo assim, imediatamente irei apagar e fingir que nem vi.
Pronto, agora pode comentar a vontade! Mais informações, ou critica/duvida/sugestão em particular, envie um e-mail para: amandaestevam69@hotmail.com

Obrigada pelo seu comentário <3